Autoconsumo e as escalas de diversificação agrícola em um assentamento rural

Conteúdo Principal do Artigo

Henrique Carmona Duval
Vera Lúcia Silveira Botta Ferrante
Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco

Resumo





Neste artigo objetivamos descrever e analisar o autoconsumo alimentar e sua relação com a diversificação agrícola nos lotes de um assentamento rural. Pretendemos apresentar uma proposta metodológica para adentrar 05 escalas de diversificação, que formam mosaicos na paisagem a partir dos sistemas agrícolas específicos que cada família assentada imprime em seu lote. A pesquisa baseia-se em observação direta, registros em diário de campo, questionário, coleta de cardápios, desenhos, inventários e foto-documentação dos lotes. Também foram utilizadas imagens de satélite e foto aérea (respectivamente, da região e de uma microbacia da qual faz parte o assentamento). O autoconsumo aparece como um aspecto essencial nas estratégias familiares para conquistar autonomia e viver melhor, por exemplo, em relação a se alimentar daquilo que lhes dá identidade e de ter segurança alimentar. As produções comercial e empresarial convivem, no mesmo lote, com a produção de autoconsumo, no entanto esta é ligada a práticas e princípios de agriculturas de base ecológica. Os sistemas de produção de autoconsumo são responsáveis pela maior diversificação de um lote agrícola, mas nem sempre têm esse valor reconhecido, até pela dificuldade de sua mensuração econômica.





Detalhes do artigo

Como Citar
Duval, H. C., Ferrante, V. L. S. B., & Bergamasco, S. M. P. P. (2012). Autoconsumo e as escalas de diversificação agrícola em um assentamento rural. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 32(2), 32-55. https://doi.org/10.37370/raizes.2012.v32.357
Seção
Dossiê: Desenvolvimento, Ruralidades e Ambientalização

Referências

Ver no arquivo do artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)