“Política e negociações” nos trilhos da convivência com o Semiárido

Conteúdo Principal do Artigo

Shana Sampaio Sieber

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre o processo de implementação do Plano Municipal de Convivência com o Semiárido, no município de Serra Talhada - PE, problematizando a disputa de significados atribuídos ao discurso da Convivência com o Semiárido pela Sociedade Civil, através das Organizações Não Governamentais (ONGs), e pelo Estado, por meio do poder público. A análise desse processo nos leva a questionar o protagonismo da sociedade civil ante o contexto de proximidade desta com o Estado, produzindo uma espécie de Confluência Perversa. O exercício metodológico privilegiou a observação de reuniões, a análise de documentos e a realização de entrevistas. As evidências dão conta de que a Convivência, enquanto prática política, foi reduzida ao acesso a programas e políticas governamentais, à competição para a obtenção de cargos públicos e ao oportunismo político partidário, colocando em questão o potencial transformador da sociedade civil.

Detalhes do artigo

Como Citar
Sampaio Sieber, S., & Alves Gomes, R. (2018). “Política e negociações” nos trilhos da convivência com o Semiárido. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 38(2), 23-42. https://doi.org/10.37370/raizes.2018.v38.19
Seção
Artigos

Referências

BOURDIEU, P. O campo político. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 5, Brasília, janeiro-julho , 2011a, p. 193-216.
CUNHA, L.H.; PAULINO, J.S. Convivência com o semiárido: um novo paradigma para políticas públicas no Nordeste? In: Neves, D. P.; GOMES, R.A.; LEAL, P.F. (Orgs.) Quadros e programas institucionais em políticas públicas. Campina Grande: EDUEPB, p. 27-58, 2014.
DECLARAÇÃO DO SEMIÁRIDO. PROPOSTAS DA ARTICULAÇÃO NO SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO PARA A CONVIVÊNCIA COM O SEMI-ÁRIDO E COMBATE À DESERTIFICAÇÃO. Recife, 26 de novembro de 1999.
DAGNINO, E. Confluência perversa, deslocamentos de sentido, crise discursiva. In: GRIMSON, Alejandro (Ed.). La cultura em las crisis latino-americanas, Buenos Aires: CLACSO, ConsejoLatinoamericano de Ciencias Sociales, p. 195-216, 2004a.
______. Sociedade Civil, Espaços Públicos e a Construção Democrática no Brasil: Limites e Possibilidades. In: ______. Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, p. 279-301, 2002.
______. Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando? In: MATO, D. (Coord.). Políticas de Ciudadania y sociedade civil en tiempos de globalización. Caracas: FACES, Universidad Central de Venezuela, p.95-110, 2004b.
______.; TEIXEIRA, A. C. C. The participation of civil society in Lula’s government. Journal of Politics in Latin America, v. 6, n. 3, 2014, p. 39-66.
DINIZ, P. C. O. Da experimentação social ao “experimentalismo institucional”: trajetórias de relações entre Estado e sociedade civil. Experiências no semiárido. Tese. 237 p. Programa de Pós Graduação em Sociologia – Universidade Federal de Campina Grande, Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande, 2007.
DINIZ, P. C. O. ; PIRAUX, M. Agroecologia e convivência com o semiárido: breves notas de uma longa trajetória de diálogo e interfaces. In: LIMA, J. R. T. de. (Org.) Agroecologia e movimentos sociais. Recife: Bagaço, p.147- 168, 2011a.
DINIZ, P. C. O.; PIRAUX, M. Das intervenções de combate à seca às ações de convivência com o semiárido: trajetória de ‘experimentalismo institucional’ no semiárido brasileiro. Cadernos de Estudos Sociais, v. 26, n.2, p. 227-238, jul/dez, 2011b.
DOSSIÊ FÓRUM SECA. FÓRUM PERNAMBUCANO DE ENFRENTAMENTO À PROBLEMÁTICA DA SECA. Este dossiê registra destaques dos primeiros passos dados pelo Fórum Seca, o início dessa nova história escrita com a luta e a sabedoria os homens e mulheres comprometidos com a emancipação dos trabalhadores rurais do nosso Nordeste. Recife, junho de 1991.
FAVERO, O. Uma pedagogia da participação popular: análise da prática educativa do MEB – Movimento de Educação de Base (1961/1966). Campinas, SP: Autores Associados, 2006. (Coleção Educação Contemporânea), 304 p.
GOHN, M. da G. Desafios dos movimentos sociais hoje no Brasil. SER social, Brasília, v. 15, n. 33, p. 261-384, jul/dez, 2013.
GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Volume 3. 3. ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007.
I SEMINÁRIO PERNAMBUCANO, SECA, IMPLICAÇÕES POLÍTICAS E FORMAS DE ENFRENTAMENTO. Projeto tecnologias Alternativas o Centro Josué de Castro; Pólo Sindical de Serra Talhada, Comissão Pastoral da Terra; Grupo de Ecologia Humana da UFRPE; OXFAM. Camaragibe/PE, 27 a 30 de agosto de 1990.
MALVEZZI, R. Semiárido: uma visão holística. Brasília: Confea, 2007. 140 p. (Pensar Brasil)
MULLER, P.; SUREL, Y. A análise das políticas públicas. 2.ed.Pelotas: EDUCAT, 2004. 156 p.
PASSADOR, C. S.; PASSADOR, J. L. Apontamentos sobre as políticas públicas de combate à seca no Brasil: cisternas e cidadania? Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v.15, n. 56. p. 65-86, 2010.
RELATÓRIO HISTORICO DO FÓRUM SECA, 1989 a 1996. Recife, março, 1997.
SECA, UM PROBLEMA QUE TEM SOLUÇÃO: FÓRUM PERNAMBUCANO DE ENFRENTAMENTO À PROBLEMÁTICA DA SECA. Cartilha. Marcos Figueiredo (Org.). Recife, abril de 1995.
SIEBER, S. S.; GOMES, R. A. O plano municipal de convivência com o semiárido como instrumento discursivo: um estudo de caso no sertão de Pernambuco, Brasil. Sustentabilidade em Debate, v.7, p.226 - 238, 2016.
SIEBER, S. S.; GOMES, R. A. Entre novos paradigmas e velhas práticas: a convivência com o semiárido e a agricultura familiar no semiárido nordestino. Cronos (Natal Impresso), v.14, 2013, p. 171-189.
SILVA, M. K.; OLIVEIRA, G. de. L. A face oculta(da) dos movimentos sociais: trânsito institucional e intersecção Estado - Movimento – uma análise do movimento de economia solidária no Rio Grande do Sul. Sociologias, Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 86-124, set./dez., 2011.
SILVA, R. M. A. Entre o combate à seca e a convivência com o semiárido: transições paradigmáticas e sustentabilidade do desenvolvimento. 2006. 289 p. Tese. (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) - Universidade de Brasília, Brasília.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)