Da produção de carvão à proteção ambiental mudanças de paradigmas em comunidades rurais da Serra do Gandarela, Quadrilátero Ferrífero, MG

Conteúdo Principal do Artigo

Resumo

Enfatizamos práticas de extrativismo e de produção de carvão vegetal de mata nativa realizados por habitantes da região da comunidade rural de André do Mato Dentro, comunidade da Serra do Gandarela, MG. Buscamos compreender se há relação entre essas atividades e a conservação das florestas locais e circundantes, investigando as inter-relações entre experiências, vivências, saberes, práticas locais e a manutenção da diversidade de seus ecossistemas. Visamos conhecer como era realizada a extração de madeira e a produção do carvão vegetal na região a fim de elucidar parte da história local, por meio da narrativa das/os moradoras/es do lugar. A justificativa deste estudo é o resgate das histórias e estórias da região que podem contribuir para uma discussão maior sobre a associação das práticas e saberes locais, manejo da natureza e proteção da biodiversidade. Além de outras ferramentas qualitativas de investigação, adotamos entrevistas semi-estruturadas e conversas informais baseadas em princípios da fenomenologia. Percebemos uma possível correlação entre a produção do carvão vegetal e a história de ocupação de André e arredores. A carvoaria nessa região ainda é prática presente associada a saberes, vestígios, memórias do passado.

Detalhes do artigo

Como Citar
Evangelista, A. C., & Bruno Dias, J. (2021). Da produção de carvão à proteção ambiental . Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 41(1), 79-96. https://doi.org/10.37370/raizes.2021.v41.679
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Ana Carolina Evangelista

Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016) e especialista em Avaliação de Impactos Ambientais e Recuperação de Áreas Degradadas pelo Centro Universitário UniBh (2019).

Janise Bruno Dias

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (1987), mestrado em Geografia e Análise Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001) e doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná (2006). Professora e pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais desde 2009. Experiência na área de Geografia, com ênfase em Biogeografia, atuando principalmente nos seguintes temas: estudo da paisagem, políticas públicas socioambientais, áreas protegidas e conservação, meio ambiente e desenvolvimento rural.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. Pioneira, 2000.
BAER, W. Siderurgia e desenvolvimento brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1969.
BRASIL, Lei 12.651, Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Brasilia, 2012.
BELLO, A. A. Introdução à fenomenologia. Edusc, 2006.
BONDÍA, J. L. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, nº19, p. 20-28, 2002.
CABRAL, D. C. O. ‘Bosque de Madeiras’ e outras histórias: a Mata Atlântica no Brasil colonial (séculos XVIII E XIX). Tese (doutorado) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Rio de Janeiro, 2012.
DEAN, W. A ferro e fogo: a história da devastação da Mata Atlântica. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.
DIEGUES, A. C. S. Conhecimento e manejo tradicionais; ciência e biodiversidade. Artigo do Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas em Áreas Úmidas Brasileiras (NUPAUB), 2000.
DRUMMOND, J. A. et al. Devastação e preservação ambiental: os Parques Nacionais do Estado do Rio de Janeiro. Ministério da Indústria e do Comércio, Rio de Janeiro (Brasil) Instituto Brasileiro do Café, Rio de Janeiro (Brasil), 1997.
GOMES, A. M. S. Resumo: “Etnobotânica dos quintais do bairro Havaí”. Comissão do Meio Ambiente do bairro Havaí e Adjacências. Centro Universitário de Belo Horizonte. 1999.
GOMES, F. M. História da siderurgia no Brasil. Ed. Itatiaia, 1983.
HOLZER, W. Uma discussão fenomenológica sobre os conceitos de paisagem e lugar, território e meio ambiente. Revista Território, v. 3, p. 77-85, 1997.
ICMBio – INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Proposta de Criação do Parque Nacional da Serra do Gandarela, 2010.
LANA, P. C. Antropização dos meios naturais. Texto apresentado em aula no curso
de Antropização dos Ecossistemas. Tese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Meio Ambiente e Desenvolvimento (MADE). Curitiba, 2003.
MARTINS, M. L. História e meio ambiente. Annablume, 2007.
MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Tradução de: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 2ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
MORAES, L. O. AS MULHERES E AS PLANTAS – UMA LIGAÇÃO RITUALÍSTICA ENTRE O FEMININO E O TODO. Graduação (monografia). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2015.
MURTA, I. B. D. A gente é dono e não é: representações sociais em torno da atividade turística e do processo de patrimonialização em São Bartolomeu. Graduação (monografia). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2009.
OLIVEIRA, A. E. "O homem e a preservação da natureza". Ciência Hoje. vol. 14, n° 81, 1992.
OLIVEIRA, R. R. Mata Atlântica, paleoterritórios e história ambiental. Ambiente & Sociedade, v. 10, n. 2, p. 11-23, 2007.
OLIVEIRA, R. R. & FRAGA, J. S. Metabolismo Social de uma Floresta e de uma cidade: Paisagem, Carvoeiros e Invisibilidade Social no Rio de Janeiro dos Séculos XIX e XX. Revista do Departamento de Geografia da PUC-Rio (GEOPUC). Ano 4, nº 7 ,2011.
PÁDUA, J. A. Um sopro de destruição: pensamento político e crítica ambiental no Brasil escravista, 1786-1888. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2002.
PRÓ-CITTA- Instituto de Estudos Pró-Cidadania. Projeto: Avaliação do patrimônio biológico da Serra do Piaco e identificação de alternativas econômicas sustentáveis nas comunidades adjacentes. Relatório Técnico de Pesquisa. Serra do Gandarela, 2012.
ROJAS, C. M. Os Conflitos Ambientais da Serra do Gandarela na perspectiva das comunidades locais. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Belo Horizonte, 2014.
THOMAS, K. O homem e o mundo natural: mudanças de atitude e relação às plantas e os animais (1500-1800). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar. São Paulo: Difel, p. 01-22, 1983.
VENTURA, M. M. O Estudo de Caso como Modalidade de Pesquisa. Revista SOCERJ. V. 20, n. 5, 2007