Des(a)fiando memórias: a construção do espaço social da reforma agrária sob a ótica de mulheres assentadas

Conteúdo Principal do Artigo

Resumo




O presente artigo tem como objetivo desfiar (e desafiar) as memórias sobre a história de um dos assentamentos pioneiros do Estado de São Paulo, a Gleba XV de Novembro, implantado na região do Pontal do Paranapanema em 1984. Para tanto, utilizando da metodologia da história oral, entrevistamos as mulheres da Organização das Mulheres Unidas da Gleba XV de Novembro (OMUS). Partimos do pressuposto de que pensar a temática de gênero atrelada às memórias de mulheres sobre o processo de luta e conquista da terra é imprescindível para que se possa compreender a reforma agrária sob diferentes óticas. Seus depoimentos mostram que, ainda que silenciadas na construção da história oficial produzida pelo meio acadêmico, estas mulheres foram fundamentais para a efetiva conquista da terra.




Detalhes do artigo

Como Citar
Alves Ramiro, P., & Alves de Almeida, O. (2018). Des(a)fiando memórias:. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 38(2), 73-87. https://doi.org/10.37370/raizes.2018.v38.11
Seção
Artigos

Referências

ALBERTI, V. Histórias dentro da história. In: PINSKY, C. B. (Org.). Fontes Históricas. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 155-202.
ALMEIDA, O. A. de. A reforma agrária sob a ótica de mulheres assentadas: a história da Gleba XV de Novembro a partir da trajetória da OMUS - Organização das Mulheres Unidas. 2016. 114 f. Dissertação (Mestrado) – Mestrado em Sociologia, Programa de Pós-graduação em Sociologia, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados-MS, 2016.
ALMEIDA, O. A. de. Alternativas não agrícolas de geração de renda no assentamento rural Gleba XV de Novembro. 2012. 80 f. TCC (Graduação) - Curso de Turismo, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Rosana-SP, 2012.
BORGES, M. C. O desejo do roçado: práticas e representações camponesas no Pontal do Paranapanema – SP. São Paulo: Annablume, 2010.
BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.
BOURDIEU, P. A dominação masculina. 8 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.
BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 1996.
BOURDIEU, P. La représentation de la position sociale. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, vol. 52-53, p. 14-15, juin. 1984.
BRASIL. Programa de aquisição de alimentos da agricultura familiar. Brasília/DF: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2012. Disponível em: http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_arquivos_64/CARTILHA_PAA_FINAL.pdf. Acesso em: 18 jul. 2017.
BUTTO, A.; HORA, K. E. R. Mulheres e reforma agrária no Brasil. In: LOPES, A. L.; BUTTO, A. (Org.). Mulheres na reforma agrária: a experiência recente no Brasil. Brasília: MDA, 2008. p. 20-37.
D’INCAO MELLO, M. C. O "bóia-fria": acumulação e miséria. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1976.
FARIAS, M. L. O cotidiano dos assentamentos de reforma agrária: entre o vivido e o concebido. In: FERRANTE, V. L. S. B.; WHITAKER, D. C. A. (Org.). Reforma agrária e desenvolvimento: desafios e rumos da política de assentamentos rurais. Brasília: MDA; São Paulo: Uniara, 2008. p. 151-170.
FARIAS, M. L. Lavouras e sonhos: as representações camponesas nos assentamentos de reforma agrária. Revista NERA. Presidente Prudente, ano 10, n. 11, p. 33-47, 2007.
HALBWACHS, M. A memória coletiva. 2 ed. São Paulo: Centauro, 2006.
HEREDIA, B.; PALMEIRA M.; LEITE, S. P. Sociedade e economia do “agronegócio” no Brasil . Revista Brasileira de Ciências Sociais. v. 25. n. 74, p. 159-196, out. 2010.
KERGOAT, D. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: HIRATA, H. et al. (Org.). Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Editora UNESP, 2009. p. 67-75.
LE GOFF, J. História e memória. Campinas-SP: Editora da UNICAMP, 1990.
LEITE, J. F. A ocupação do Pontal do Paranapanema. São Paulo: HUCITEC/Fundação UNESP, 1998.
MELO, H. P.; CAPPELLIN, P.; CASTRO, E. G. Agricultura familiar nos assentamentos rurais: nas relações entre as mulheres e os homens - O caso do Pontal de Paranapanema. In: LOPES, A. L.; BUTTO, A. (Org.). Mulheres na reforma agrária: a experiência recente no Brasil. Brasília: MDA, 2008.
OLIVEIRA, A. U.. A agricultura camponesa no Brasil. São Paulo: Contexto, 1991.
PAULILO, M. I. S. O peso do trabalho leve. Revista Ciência Hoje, Rio de Janeiro, v. 5, n. 28, p. 64-70, 1987. p. 81-151.
PAULILO, M. I. S. Trabalho Familiar: uma categoria esquecida de análise. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 229-252, jan./abril 2004.
POLLAK, M. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, p. 200-212, 1992.
RAMIRO, P. A.; MANCUSO, M. I. R. Revisitando o campo: o retorno e a permanência no meio rural. Cadernos CERU, USP, série 2, vol. 20, nº 2, p. 15-31, dez. 2009.
RUA, M. G.; ABRAMOVAY, M. Companheiras de luta ou “coordenadoras de panelas”? As relações de gênero nos assentamentos rurais. Brasília: UNESCO, 2000.
SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v.20, n. 2, p. 71-99, jul./dez, 1995.
SILVA, M. A. M. A luta pela terra: experiência e memória. São Paulo: Editora UNESP, 2004.
THOMPSON, P. A voz do passado. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.