Mulheres agricultoras e sistemas agroalimentares pautados na agroecologia vozes e inspirações do Sertão do Pajeú

Conteúdo Principal do Artigo

Ana Paula Lopes Ferreira
Liliana Mari Lino Pires
Ramonildes Alves Gomes

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir a inserção de mulheres agricultoras como sujeito político em Sistemas Agroalimentares Sustentáveis (SAS) pautados na agroecologia. Para tal, são mobilizadas narrativas de mulheres agricultoras do território do Sertão do Pajeú, no semiárido Pernambucano. A partir destas narrativas, discute-se as opressões a que estão submetidas e suas resistências no contexto da experimentação agroecológica, assim como em suas atuações em espaços públicos no referido território. Conclui-se que a auto-organização como estratégia de empoderamento destas mulheres possibilita sua inserção como sujeito político nos SAS, não somente pela inclusão econômica, mas também pela valorização de suas formas de saber, ser e fazer relevantes à proteção do meio ambiente e da diversidade, e ao estabelecimento de relações de cooperação e solidariedade como atributos que contribuem à sustentabilidade destes sistemas.

Detalhes do artigo

Como Citar
Lopes Ferreira, A. P., Lino Pires, L. M., & Gomes, R. A. (2021). Mulheres agricultoras e sistemas agroalimentares pautados na agroecologia. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 41(2), 280-300. https://doi.org/10.37370/raizes.2021.v41.744
Seção
Dossiê: Sistemas Agroalimentares Contemporâneos
Biografia do Autor

Ana Paula Lopes Ferreira, Rede GTD México

Doutora pela Universidade de Córdoba, Espanha no Programa de Recursos Naturais e Gestão Sustentável (2016). Mestre em Agroecologia pela Universidade Internacional de Andalucía, Espanha (2009). Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1992). Especialista em Gênero, Agroecologia e Sustentabilidade, com experiência em entidades da sociedade civil, movimentos sociais, e agências de cooperação internacional. Desenvolve projetos diversos dentre os quais destacam-se os seguintes temas: (i) Mulheres, Agroecologia e Sustentabilidade; (ii) Mulheres e Políticas Públicas; (iii) Mulheres e Cidades; (iv) Pobreza e Desigualdades; e, (v) Segurança Alimentar.

Liliana Mari Lino Pires, Universidade Estadual de Santa Catarina

Facilitadora de processos de desenvolvimento junto a agricultores familiares e povos e comunidades tradicionais e suas organizações, assim como organizações governamentais e não governamentais, tendo como princípio o protagonismo e autonomia de cada grupo e indivíduo. Atua nos biomas da Amazônia, Mata Atlântica e Caatinga, concebendo e implementando estratégias e metodologias de diagnóstico, planejamento e monitoramento participativo; desenvolvimento organizacional; construção participativa de políticas públicas; articulação e governança intra e interinstitucional; sistematização e aprendizagem de experiências e formação de jovens e adultos, com ênfase nos seguintes temas: soberania e segurança alimentar e nutricional, povos e comunidades tradicionais, gestão territorial, agroecologia e sociobiodiversidade. Atualmente é consultora associada ao Instituto de Desenvolvimento Social e mestranda no em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade de São Paulo e especialização em Liderança para o Desenvolvimento Sustentável pelo Programa LEAD (Leadership for Environment and Development), do qual é fellow desde 2000.

Ramonildes Alves Gomes, Universidade Federal de Campina Grande

Doutora em Sociologia. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande.

Referências

BEZERRA, I; DA PAIXÃO SOUZA, R. Agroecologia: a ciência dos sistemas agroalimentares e dos territórios mais sustentáveis. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 13, n. 2, p. 2, 2018.
BRICAS, N. Urbanization issues affecting food system sustainability. In C. Brand, N. Bricas, D. Conaré, B. Daviron, J. Debru, L. Michel, et al. (Eds.), Designing urban food policies: Concepts and approaches (pp. 1–25). Springer International Publishing. 2019.
BURIGO, A. C; PORTO, M. F. Agenda 2030, saúde e sistemas alimentares em tempos de sindemia: da vulnerabilização à transformação necessária. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, p. 4411-4424, 2021.
CAPORAL, F; PETERSEN, P. Agroecologia e Políticas Públicas na América Latina: o caso do Brasil. Revista Agriculturas, v. 6, p. 63-74, 2011.
DINIZ, G. R. S; PONDAAG, M. C. M. A Face Oculta da Violência contra a Mulher: o silêncio como estratégia de sobrevivência. In: DINIZ, Glaucia Ribeiro Starling et al (orgs.). Violência, Exclusão Social e Desenvolvimento Humano: estudos em representações sociais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006.
FEDERICI, S. Mulheres e caça às bruxas: da Idade Média aos dias atuais. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2019.
FEDERICI, S; VALIO, L. B. M. Na luta para mudar o mundo: mulheres, reprodução e resistência na América Latina. Revista Estudos Feministas, v. 28, 2020.
FERREIRA, A Paula. La importância de la perspectiva feminista en el empoderamiento de las mujeres campesinas. Máster en Agroecología, Universidad de Córdoba e Universidad Internacional de Andalucía, directores Emma Siliprandi e Angel Calle, 2008.
FERREIRA, A Paula. Aproximações entre as perspectivas feminista e agroecológica potencializando processos de empoderamento das mulheres rurais brasileiras, a partir do território do Pajeú, Sertão de Pernambuco. 2015. Tese (Doutorado em Recursos Naturais e Gestão Sustentável) - Universidad de Córdoba, Espanha, 2015.
FOUCAULT, M. Surveiller et punir: naissance de la prison. Paris: Gallimard, Collection Tel 225, 1975.
HIRATA, H.; KERGOAT, D. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, p. 595-609, 2007.
HLPE. Food losses and waste in the context of sustainable food systems. A report by the High Level Panel of Experts on Food Security and Nutrition of the Committee on World Food Security. Rome 2014.
HOWARD, P. The Major Importance of ‘Minor’Resources:Women and Plant Biodiversity. Gatekeeper Series, n.112. International Institute for Environment and Development. London, UK, September, 2003.
JALIL, L y BORDALO, C. Reconfiguração das lutas das mulheres no meio rural brasileiro. Ação política, articulação e democratização. XXVII Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología. Asociación Latinoamericana de Sociología, Buenos Aires: 2009.
MALUF, R. S. Segurança Alimentar e Nutricional. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
OXFAM BRASIL. O vírus da fome se multiplica: uma receita mortal misturando conflitos armados, covid-19 e crise climática acelera a fome no mundo. São Paulo: Oxfam Brasil, 2021. 66 p. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/noticias/fome-aumenta-no-mundo-devido-a-pandemia-crise-climatica-e-conflitos-armados/. Acesso em: 27 agosto 2021.
ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO (OIT). Mulheres representam até 70% da força de trabalho rural em economias agrícolas. Publicado em 8 de março de 2012. Informação disponível em:
https://brasil.un.org/mulheres-representam-ate-70-da-forca-de-trabalho-rural-em-economias-agricolas-afirma-oit/ Acesso em 20 de agosto de 2021.
OTTMANN, G. Agroecología y Sociología Histórica desde América Latina. Córdoba: Universidad de Córdoba, 2005.
PACHECO, Maria E. L; JALIL, L; CARDOSO, Elisabeth M; RODRIGUES, V. S; SOUSA, Ana Celsa; LEITE, E. de S; RIOS, L; LIMA, B. F; AMARAL, W. R; SILVA, M. M. da; OLIVEIRA, C. Mulheres Construindo a Agroecologia. Revista Agriculturas, v.6 n.4, 2009.
PAULILO, Maria I. S. Trabalho familiar: uma categoria esquecida de análise. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, vol., n. 1, p. 229-252, 2004.
PETERSEN, P. Metamorfosis Agroecológica: Un ensayo sobre Agroecología Política. Universidad Internacional de Andalucía, directores: Jan Douwe van der Ploeg y Manuel González de Molina Navarro, Baeza, 2011.
PACHECO, Maria E. L. Em defesa da agricultura familiar sustentável com igualdade de gênero. In: GT Gênero-Plataforma de Contrapartes Novib/SOS CORPO. Perspectivas de gênero: debates e questões para as ONGs. Recife: Gênero e Cidadania. p. 138-161, 2002.
PACHECO, Maria E. L. Editorial da Revista Agriculturas. Mulheres Construindo a Agroecologia, v.6 n.4, 2009.
PORTO-GONÇALVES, Carlos W. A Reinvenção dos Territórios: a experiência latino-americana e caribenha. In: CECEÑA, Ana Esther. Los desafíos de las emancipaciones en un contexto militarizado. Buenos Aires: CLACSO, p. 151-197, 2006.
PORTO, M. F. No meio da crise civilizatória tem uma pandemia: desvelando vulnerabilidades e potencialidades emancipatórias. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, v. 8, n. 3, p. 2-10, 2020.
REDE BRASILEIRA DE PESQUISA EM SOBERANIA E SEGURANÇA ALIMENTAR (REDE PENSSAN). VIGISAN: Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil. Rio de Janeiro: Rede Penssan, 2021. Disponível em: http://olheparaafome.com.br/
SACHS, C; PATEL-CAMPILLO, A. “Feminist Food Justice: Crafting a New Vision.” Feminist Studies, vol. 40, no. 2, Feminist Studies, Inc., pp. 396–410, 2014. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/10.15767/feministstudies.40.2.396?refreqid=excelsior%3A2320f30a766410b5753cc098696e8975 Acesso em 20 de agosto de 2021.
SEGATO, Rita L. Que és um Feminicídio. Notas para um Debate Emergente. Série Antropológica (401) Brasília, 2006.
SHIVA, V. Women's Indigenous Knowledge and Biodiversity Conservation. India International Centre Quarterly, vol. 19, no. 1/2, pp. 205–214, 1992. JSTOR, www.jstor.org/stable/23002230 Acesso em 10 de fevereiro de 2021.
SILIPRANDI, E. Um olhar ecofeminista sobre as lutas por sustentabilidade no mundo rural. In: PETERSEN, P. (Org). Agricultura familiar camponesa na construção do futuro. Rio de Janeiro: AS-PTA, p. 139-151, 2009.
SILIPRANDI, E; CINTRÃO, R. As mulheres agricultoras e sua participação no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). In: BUTTO, Andrea e DANTAS, Isolda (Orgs.). Autonomia e Cidadania: Política de Organização Produtiva para as Mulheres no Meio Rural. Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA 1° Edição, Brasília, 2011.
SILVA, E. A; GOMES, R. A. Intercâmbios e contradições discursivas: os desafios na construção do conhecimento de ATER no Nordeste. In: 44º Encontro Anual da ANPOCS, 2020, SÃO PAULO (ON LINE). Anais do 44º Encontro Anual da ANPOCS. SÃO PAULO: ANPOCS, 2020. v.1., São Paulo, 2020.
ZARZAR A. L. B; JALIL, L. Entrevista com Emma Siliprandi. Revista Cadernos de Ciências Sociais da UFRPE, v. 2, n. 15, p. 11-24, 2019.