De trabalhadoras rurais a chefes de fami?lia em ZEIS: visitando as trajeto?rias e estrate?gias femininas

Conteúdo do artigo principal

Mary Alves Mendes

Resumo




O presente estudo mostra as trajeto?rias de vida de um grupo de trabalhadoras rurais que migraram do interior do Estado de Pernambuco para a capital em busca de trabalho e atualmente sa?o chefes de fami?lia em um bairro pobre da cidade do Recife. O processo de migrac?a?o trouxe ale?m de adaptac?o?es e reformulac?o?es dos saberes tradicionais rurais para um novo estilo de vida e trabalho urbano, estrate?gias de sobrevive?ncia e resiste?ncia. Os dados revelam que as condic?o?es atuais de vida e situac?a?o de provisa?o econo?mica da fami?lia esta?o associadas a um contexto de vulnerabilidades socioecono?micas que reportam a?s histo?rias de vida marcadas pela pobreza, viole?ncia e trabalho. Como trabalhadoras encontram-se inscritas num quadro de precarizac?a?o, informalidade e feminizac?a?o das ocupac?o?es. As relac?o?es de ge?nero se constituem a partir de um quadro ambivalente que transita entre posturas tradicionais e modernas, sendo a esfera dome?stica, paradoxalmente, um lo?cus de desigualdades (divisa?o sexual do trabalho, viole?ncia dome?stica) e de poder (provisa?o econo?mica feminina).




Detalhes do artigo

Como Citar
Mendes, M. A. . (2009). De trabalhadoras rurais a chefes de fami?lia em ZEIS:: visitando as trajeto?rias e estrate?gias femininas. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 27(1), 56–70. https://doi.org/10.37370/raizes.2008.v27.287
Seção
Artigos

Referências

Ver no arquivo do artigo.