Superexploração da força de trabalho na agropecuária brasileira: aspectos teóricos-metodológicos e a produção de dados empíricos

Conteúdo do artigo principal

Carlos Alves do Nascimento
https://orcid.org/0000-0003-3495-8076
Joacir Rufino de Aquino
https://orcid.org/0000-0003-0772-7141

Resumo




Este artigo tem um duplo objetivo: i) propor uma metodologia para mensurac?a?o do contingente de trabalhadores superexplorados na agropecua?ria no Brasil; e ii) argumentar que, para atingir o primeiro objetivo, na?o ha? necessidade de saber qual o valor da forc?a de trabalho, mas o seu valor de troca. Ale?m disso, propo?e-se que o sala?rio mi?nimo calculado pelo DIEESE pode ser usado como uma proxy do valor de troca da forc?a de trabalho. O peri?odo utilizado na ana?lise foi 2002 a 2014, usando a PNAD/IBGE. Com base nessa proposta metodolo?gica, apresenta-se um ca?lculo aproximado do que poderi?amos considerar como fami?lias de trabalhadores superexplorados na agropecua?ria brasileira. Observa-se que, mesmo apo?s mais de uma de?cada de governo do Partido dos Trabalhadores, em que houve reduc?a?o do contingente de superexplorados, registrava-se, em 2014, que quase a metade da amostra analisada (48,3%) ainda era de superexplorados.




Detalhes do artigo

Como Citar
Alves do Nascimento, C., & Rufino de Aquino, J. (2018). Superexploração da força de trabalho na agropecuária brasileira:: aspectos teóricos-metodológicos e a produção de dados empíricos. Raízes: Revista De Ciências Sociais E Econômicas, 38(1), 145–161. https://doi.org/10.37370/raizes.2018.v38.44
Seção
Artigos

Referências

BALSADI, O. V. O mercado de trabalho assalariado na agricultura brasileira e suas diferenciações regionais no período 1992-2004. São Paulo: HUCITEC, 2008. (Economia & Planejamento).
BASTOS, P. P. Z. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo.
Economia e Sociedade. Campinas, v. 21, Número Especial, p. 779-810, dez. 2012.
BUAINAIN, A. M. et al. (Ed.). O mundo rural no Brasil do século XXI: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Brasília/DF: EMBRAPA, 2014.
BUENO, F. M. A superexploração do trabalho: polêmicas em torno do conceito na obra de Ruy Mauro Marini e a vigência na década de 2000. Brasília: UnB. 2016. (Tese de Doutoramento)
DE GRAZIA, G. Tempo de trabalho e desemprego: redução de jornada e precarização em questão. São Paulo: Xamã. 2007. (Col. Labirintos do Trabalho).
DELGADO, G. C. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio: mudanças cíclicas em meio século (1965-2012). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.
DIEESE - DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. Salário Mínimo: instrumento de combate à desigualdade. São Paulo: DIEESE. 2010. 252p.
DUARTE, P. H. E. Superexploração da força de trabalho e política sindical no Brasil. Uberlândia: UFU. 2010. (Dissertação de Mestrado).
GASQUES, J. G. et al. (Orgs.). A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas. Brasília: IPEA, 2010.
LUCE, M. S. A superexploração da força de trabalho no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política. São Paulo, n. 32, p. 119-141, jun./2012.
LUCE, M. S. A superexploração da força de trabalho no Brasil: evidências da história recente, In: ALMEIDA FILHO, N. [Org.] Desenvolvimento e dependência: cátedra Ruy Mauro Marini. Brasília: IPEA, 2013. p. 145-165.
MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I, Tomos I e II. São Paulo: Nova Cultural. 1996. (Col. Os Economistas).
MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. v. I-II. (Livro I), 1988.
NERI, M. et al. Superação da pobreza e a nova classe média no campo. Brasília: MDA/NEAD, 2012. POCHMANN, M. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: BOITEMPO, 2012.
ROCHA, E. A. Constituição cidadã e a institucionalização dos espaços de participação social: avanços e desafios. In: 20 anos da constituição cidadã: avaliação e desafio da seguridade social. ANFIP, Brasília, 2008.
SAAD FILHO, A. O Valor de Marx. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2011.